01 junho, 2008

Mãe desnecessária

A boa mãe é aquela que vai ser tornando desnecessária com o passar do tempo. Chega a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa, protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hérculea.
Para não esmorecer na luta para controlar a supermãe que todas temos dentro de nós, lembrarei da frase "Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária".

Ser "desnecessária" é não deixar que o amor incondicional de mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos, como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos, confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer o próprios erros tambem.

A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda e um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho. Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse vínculo não pára de se transformar ao longo da vida.

Até o dia em que os filhos se tornam adultos, constituem a propria familia e recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância e na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado.

Pai e mãe - solidários - criam filhos para serem livres. Este é o maior desafio e a principal missão. Ao aprendermos a ser "desnecessários", nos transformamos em porto seguro para quando eles decidirem atracar.

(Marcia Neder)

7 comentários:

Renata disse...

Ai Alê, como é difícil né, nós sabemos que devemos fazer isso, mas que é difícil é hein rsrs

beijos,

Greice disse...

Alê, faz uns dias que li seu post mas só hoje consegui voltar com calma pra comentar. Achei lindo.
Acho que ser mãe é uma sequência sem fim de desafios. Saber se tornar desnecessária e nunca deixar de ser útil ao mesmo tempo...

beijos, e beijos nos príncipes!!

Bianca disse...

ALê, amada... Amei o texto!!! Concordo plenamente com tudo escrito!!! Saudades de vc,minha carioca amada e dospríncipes!!! beijos
Bianca

Chris, mãe da Cecília disse...

Alê, amei o texto, mas acho que mãe nunca se torna totalmente desnecessária...
Sempre vai ter alguém precisando de um colinho, de um abraço, de uma palavra de carinho ;)

Beijos queridona

Dani Paulino disse...

Alê, eu concordo plenamente, mas acho q é muito difícil, pelo menos pra mim, perceber e aceitar qdo somos desnecessárias. Bjs

Anônimo disse...

Bom dia, Td bem? Hoje li esse seu artigo, gostei muito uma definição muito importante sobre relacionamento filhos e pais. Eu fui uma mãe super protetora com meus filhos, muito criticada, falavam q meus filhos nunca iriam sair da barra de minha saia,nunca aceitei opinião de ninguém a respeito da educação, somente falava no final vcs verão? Sempre os protegi na hora certa, ensinado sempre os caminhos e dando dicas como seguir, apoio nas horas difíceis, nunca deixaranm de ir a algum lugar por minha proibição, sempre os acompanhei, uma liberdade vigiada, as vezes mostrava~m-se revoltados, mas hoje o maior troféu de minha vida= Cada um tem vida própria, pessoas idôneas, competentes, queridas, pais também, maridos excelentes, responsáveis. Concluindo .. devemos ser justas mostrar a realidade da vida, um erro não pode passar em branco ou melhor passarmos a mão em suas cabeças e escondermos seus erros. Fui assim e sou hoje uma mulher e mãe realizada..Bjs

Anônimo disse...

Comentário anterior continuação=

Se soubermos ensinar os caminhos, a palavra "desnecessária" se encaixará na paz q teremos qto a responsabilidade q tivemos na educação q demos aos nossos filhos, depois de td o descanso para curtirmos netos.. rsrs